Escolha uma Página

 

Fonte: centraldofranqueado.com.br 19/03/2018


Afinal, vale a pena ou não apostar no formato da moda? Ou os food trucks não passam de um modismo com data de validade? Tire suas conclusões e opte pelo melhor

Apesar da crise econômica, o mercado nos últimos anos vem trazendo novidades que tornam a possibilidade de empreender mais acessível para pequenos e iniciantes investidores. As redes de franquias, por exemplo, possibilitam empreender em modelos de negócio já estabelecidos no mercado, a partir do investimento de franqueados que garantem o direito de uso da marca. O franchising é um meio muito vantajoso para investidores que não possuem tanta experiência e que procuram por uma forma mais segura de gerir um negócio. Também, alguns novos formatos de PDV surpreendem em sua praticidade e custos reduzidos – como os chamados food trucks, da tradução literal, os caminhões de comida. Muito presentes nas cidades Brasil afora, as estruturas são opções muito consideradas por empreendedores do ramo da alimentação, que buscam por um modelo de negócio mais barato, de prática instalação e de grande possibilidade de acesso por parte dos consumidores.

Era quase que predestinado que o franchising e os food trucks se mesclariam em um formato facilmente replicável. A expansão de redes de franquias através dos caminhões (que na verdade, em sua maioria são trailers ou até mesmo vans) acontece com frequência, atraindo investidores interessados em franquias de custo baixo de investimento e manutenção. Mas, nem tudo são flores. Apesar das aparentes vantagens, ser um franqueado de uma rede de food trucks também tem seus percalços. Não é à toa que muitos se enganam: o head do site e app Guia Food Truck, Osvane Mendes, afirma que em São Paulo, de 2014 para cá, o número de food trucks reduziu pela metade (fonte: VICE).

O que poderia fazer os empreendedores desistirem da ideia? Preparamos este post para que você, caso esteja interessado em franquear no modelo de food trucks, pense bem a respeito da escolha. Lançamos o questionamento: seriam os food trucks um modelo duradouro de mercado?

 

Food trucks: uma possibilidade para (micro)franquias

Bom, é intuitivo pensar que um food truck é um investimento mais barato do que um ponto comercial propriamente dito. De fato: optar pelos trucks é não precisar pagar aluguel, nem investir a mais na estrutura de uma loja. Entretanto, dependendo da proposta do negócio, os valores de investimento em food trucks variam muito. Algumas redes de alimentação demandam um espaço maior de produção e, nesse caso, um carro ou trailer não seriam suficientes para comportar toda a estrutura. Trailers por si só têm o valor médio de R$20 mil. Já caminhões, necessários para determinadas franquias, podem demandar um investimento maior que R$300 mil, contando com a instalação da estrutura necessária para a produção da empresa. Nisso, entram as condições e o objetivo do aspirante a franqueado. Franquias que exigem investimentos maiores normalmente oferecem produtos de maior valor, então o retorno é proporcional.

A partir desta média de valores, no âmbito do franchising, podemos considerar que food trucks são tanto um formato de microfranquias como de franquias convencionais. A rede Seu Churros requere um investimento total de R$29,5 mil; a Big X Picanha, é instalada a partir de R$280 mil, por exemplo (dados: Associação Brasileira de Franchising). É importante ressaltar que, por mais que o custo de instalação e de produção varie muito, o valor final do produto também difere. Logo, considerando o valor arrecadado e a porcentagem repassada do franqueado ao franqueador, o retorno de um grande investimento acaba sendo maior.

 

Vantagens: custos de instalação, acessibilidade, mobilidade

Em suma, a principal vantagem do formato dos food trucks para redes de franquias engloba sua possibilidade de fácil replicação e expansão. Isso, devido a três principais fatores: os baixos custos de instalação, a acessibilidade do consumidor às lojas e à mobilidade da unidade – afinal, ela é um veículo que pode se locomover a qualquer local.

Os baixos custos de instalação são um atrativo para aspirantes a franqueados. É a partir de seu investimento, afinal, que a rede se expande, através da inauguração de novas unidades. Não pagar aluguel e IPTU, entre outras taxas de locação, é um deleite para qualquer empreendedor. O fato de que a unidade será montada em um veículo, também possibilita sua locomoção – o que é bastante útil para atrair novos públicos, ou renová-los. Food trucks estão sempre presentes em eventos, justamente devido a isso. Também, existe a possibilidade de alcançar novos consumidores, caso o ponto atual de permanência não esteja dando resultado.

 

Desvantagens: manutenção do veículo, permissão de espaço, dependência climática

Há quem se engana, entretanto, que manter um food truck acaba saindo muito mais barato do que manter uma loja convencional. Os custos de manutenção nesse modelo de negócio envolvem dois aspectos: os valores da estrutura e, principalmente, a manutenção do veículo. Agora, imagine: se os custos de manutenção de um carro são consideravelmente altos, imagine de um caminhão? Ainda mais se ele carrega uma carga considerável e se locomove com certa frequência? O empreendedor deve estar preparado para abrir o bolso para manter o veículo, caso contrário, não conseguirá manter o padrão de qualidade da rede.

Cabe à empresa, também, tomar cuidado com as permissões de utilização de espaços públicos, junto às prefeituras das cidades de instalação. Seria muito simples locomover um food truck a qualquer lugar, mas você já deve imaginar que existem leis específicas para isso, em cada cidade, levando em conta cada local.

Por último, um fator decisivo: as condições climáticas. Você pode ter certeza de que em dias de chuva, as vendas de um food truck serão muito menores. Dependendo da chuva, melhor nem abrir a loja. Por isso, o modelo não é interessante para qualquer cidade, visto que muitas têm chuvas frequentes. A empresa deve estar ciente disso e analisar se os retornos de um food truck em determinada cidade seriam suficientes.

 

Modismo passageiro ou falta de planejamento?

Há quem pense que os food trucks e a “comida gourmetizada” que vendem não passam de uma moda com prazo de validade, ainda mais com a diminuição do número de trucks em algumas cidades. Na verdade, está mais do que claro que tal diminuição é resultado da falta de planejamento dos empreendedores. Muitos investidores embarcam neste mercado não considerando suas desvantagens. Por isso, seja no momento de iniciar um negócio no ramo da alimentação, ou de transformá-lo em rede de franquias, é necessário traçar um plano minucioso de expansão, considerando o tempo de retorno do lucro e os objetivos da empresa. Em muitos os casos, os food trucks não são o melhor caminho e podem gerar frustração para o empreendedor.

Gostou do conteúdo? Então fique por dentro do nosso blog, sempre atualizado com postagens a respeito do universo do franchising. Se quiser conversar conosco sobre empreendedorismo em franquias e estiver interessado em formatar sua rede, entre em contato com a Central. Temos facilidades esperando por você!