Escolha uma Página

 

Fonte: Marcelo Scherer 13/10/2016


Devido ao crescimento do franchising no Brasil, muitos investidores tem optado pela abertura e pelo repasse de franquia como solução para obter bons retornos financeiros. O que se percebe é um aumento significativo de novas unidades franqueadas sendo abertas nas diversas cidades do país.

Com esse aumento, uma nova modalidade de negociação está cada vez mais presente nos dias de hoje, o repasse de franquia.

O sistema de franchising e a venda de uma empresa

Sabe-se que no franchising, tanto o franqueador como o franqueado estão juntos no sentido de viabilizar lucros para ambas as partes e, por isso celebram um contrato de médio/longo prazo. O primeiro busca o crescimento da sua rede e o retorno financeiro por todo o know-how e apoio dado ao franqueado. Este, por sua vez, elabora seu plano para se tornar um empresário franqueado e obter uma boa remuneração no seu negócio.

No entanto, essa relação pode ser estremecida devido às mudanças que podem ocorrer na vida do empresário, tendo que se desfazer do seu negócio. Falecimento na família, separação matrimonial, problema de saúde ou necessidade de mudança de cidade/país são fatores que podem levar o franqueado a desistir de sua franquia. Como solução, está o repasse da franquia para outro empresário.

Apesar de ser muito parecido com a venda de uma empresa em operação, o repasse de franquia requer a análise de alguns pontos específicos. Como explica Felippe Ferreira, sócio do meuBiZ, site especializado na compra e venda de empresas em andamento, a diferença principal entre o repasse de franquia e a venda de uma empresa em operação é justamente a necessidade de envolvimento/aprovação da franqueadora no processo. Isso porque há um contrato celebrado entre franqueado e franqueador estabelecido anteriormente e o mesmo precisa ser respeitado.

O franqueado pode fazer o repasse da franquia?

Esta não é uma resposta simples uma vez que cada franqueador trata o assunto de forma diferente. Entretanto, o primeiro local onde essa resposta pode ser obtida é no contrato de franquia.

De forma geral, os contratos são celebrados com um franqueado específico, que foi escolhido e treinado pelo franqueador inicialmente e, via de regra, não permitem a transferência automática do negócio. Dessa forma, pode até parecer que o repasse não é permitido, mas a consulta ao franqueador é sempre o caminho mais transparente e correto. Até mesmo porque, em alguns contratos, há a possibilidade de aplicação de multas caso este seja violado.
Além disso, esse novo candidato precisa ser avaliado e aprovado pelo franqueador, já que toda uma análise de perfil é necessária para a entrada na rede de unidades. Em alguns casos, o franqueador poderá até cobrar uma taxa inicial para o novo franqueado, bem como um treinamento especifico para que consiga operar o negócio.

Dicas para o repasse de uma franquia.

Separamos abaixo algumas dicas para repassar a sua franquia:

  • Analise o contrato assinado com o franqueador. Verifique se há alguma cláusula que trata do repasse de franquia. Se necessário, peça a ajuda de especialistas para ver quais as implicações de uma eventual venda do negócio.
  • Entre em contato com o franqueador. Discuta como o processo poderá ser conduzido e como e quando a franqueadora deverá participar. Verifique, também, se o novo franqueado precisará pagar algum tipo de taxa ou realizar um treinamento específico para assumir o negócio.
  • Separe toda a documentação do negócio. Quando aparecer um eventual interessado para o negócio, esteja com a documentação organizada. Todo interessado, antes de fechar o negócio, fará uma análise minuciosa das informações da empresa.
  • Potencialize a captação de interessados. No site meuBiZ você pode anunciar o repasse da sua franquia e divulgar para diversos investidores no Brasil. Avalie antes, as condições de divulgação/sigilo com o franqueador.